Notícias
%PM, %25 %841 %2018 %16:%Abr

Boletim da Vigilância em Saúde de Borda da Mata divulga dados sobre a Febre Amarela na região

Avalie este item
(0 votos)
Boletim Epidemiológico - volume 3 - abril de 2018 Boletim Epidemiológico - volume 3 - abril de 2018

A enfermeira da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Borda da Mata, Grazieli Miranda Siqueira Dande, divulgou o 3º Boletim Epidemiológico de Borda da Mata. A edição do mês de abril relaciona o cenário epidemiológico da Febre Amarela (FA) na Regional de Pouso Alegre com o número de vacinados contra a doença em Borda da Mata.

Segundo a publicação, Borda da Mata apresentou apenas um caso humano suspeito de FA até o momento, o qual foi investigado e descartado. Dois casos de epizootias foram notificados e investigados, sendo um negativo para FA e o outro impossível de investigar, visto tempo de pós mortem do animal.

A cobertura vacinal contra FA em Borda da Mata encontra-se atualmente em 76.9%; desde o início do surto o município vem trabalhando na intensificação da vacinação, sendo confeccionado o Plano de Ações e colocado em prática todas as ações nele estabelecidas. Com isso, obteve-se um aumento significativo de imunizados entre os anos 2017 e 2018, anos de pico da doença, comparado com 2016, onde pouco ou quase nada se falava sobre esta doença.

De acordo com o relatório da Superintendência Regional de Saúde Pouso Alegre, até 27/02/2018, 37 casos foram notificados em 19 cidades da região, dos quais sete foram confirmados e desses, cinco pessoas morreram por Febre Amarela. O município de Conceição dos Ouros notificou seis casos, dos quais dois foram descartados e três óbitos confirmados. Outras duas mortes aconteceram em Paraisópolis e Brazópolis.


PLANO DE AÇÃO: Campanha de Intensificação da Febre Amarela 2018

Diante do surto vivenciado nos últimos anos, é notável a importância dos meios de comunicação para que a prevenção seja obtida de forma precisa e completa, chegando a toda população bordamatense.  O município hoje conta com uma sala de vacinação que atende toda a população, com um plano de ação de intensificação da febre amarela, conforme à seguir:

* Horário estendido para Imunização contra FA;

* Dias De mobilização municipal;

* Vacinação extra muro em bairros urbanos e rurais;

* Reunião com Equipes da ESF para passar informações a cerca da Intensificação e entregar Cronograma de Ações extra muro;

* Divulgação nas redes sociais do município sobre a Intensificação (Facebook e Página Oficial), na rádio local e nas Igrejas Católica e Presbiteriana;

* Orientações casa a casa, durante as visitas, pelos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate a Endemias, além da fixação de cartazes nas unidades de saúde municipal e pontos estratégicos do município;

* Realização de vacinação casa a casa na zona rural com rumores de epizootias.

 

Considerações Finais

"O Boletim Epidemiológico do município de Borda da Mata teve como objetivo principal expor um pouco mais sobre o atual cenário Epidemiológico da FA na nossa região, nosso município, e as ações que já vem ocorrendo para enfrentamento. Sabemos que a imunização da população é a única forma eficaz de prevenir, controlar e até eliminar a Febre Amarela; por este motivo, o desenvolvimento de ações para levar esta informação a toda população. Vale salientar que a maior incidência de FA é entre os meses de dezembro e maio, mas independe do aumento da incidência, nosso trabalho continua em todos os meses do ano.

Todo conteúdo foi exposto de forma objetiva, clara e direta, tendo como propósito principal transmitir informações a todos os profissionais de saúde e população bordamatense. Continuamos nossas ações, sempre atualizando e procurando melhorar, pois acreditamos que com informação, divulgação e imunização do maior número possível de pessoas poderemos vencer esse vírus!"

 

SOBRE A FEBRE AMARELA 

A Febre Amarela (FA) é uma doença infecciosa febril aguda, transmitida por vetores artrópodes e causada por um vírus; possui dois ciclos epidemiológicos de transmissão, o silvestre e o urbano, com as mesmas características sob o ponto de vista etiológico, clínico, imunológico e fisiopatológico. No ciclo silvestre da febre amarela, os macacos são os principais hospedeiros e os vetores são mosquitos dos gêneros HaemagogusSabethes, os mais importantes na América Latina. No ciclo urbano, o homem é o único hospedeiro com importância epidemiológica e a transmissão ocorre pelos vetores urbanos Aedes aegypt infectados. A principal medida de prevenção e controle é a vacinação, oferecida gratuitamente pelo SUS para as pessoas a partir de nove meses de idade, até 59 anos, 11 meses e 29 dias; maiores de 60 anos, somente após avaliação clínica de seu estado de saúde.

Compartilhar nas redes sociais:

Mídia

Compartilhar nas redes sociais:

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Filtro por data

« Setembro 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30

Mais lidas